Atividades no Ensino Superior

Infraestrutura a nível do Sistema de Ensino Superior

O parque de estufas para além de ser um equipamento fundamental numa instituição universitária que lecciona biologia, permitiu o desenvolvimento de estudos académicos e de projetos de investigação ao nível das interações solo-microrganismo-planta-atmosfera e planta-animal.
Durante o tempo em que o Parque de Estufas tem estado ativo foi possível desenvolver algumas técnicas relacionadas com o estudo da rizosfera e das respectivas comunidades microbianas. Foi possível utilizar técnicas de “split root systems”, suprimento de nutrientes localizado e permitiu, sobretudo, o cultivo de plantas em condições óptimas de crescimento.
A utilização de “minirizotrons” que possibilitam o estudo da arquitetura radicular foi muito importante para os vários estudos da rizosfera desenvolvidos pelos grupos que utilizaram o Parque de estufas.

Durante os dois anos em que o Parque de estufas tem estado em funcionamento, esta infraestrutura contribuiu para a realização de 5 trabalhos de mestrado, 4 trabalhos de doutoramento, 5 trabalhos de pós-doc e vários trabalhos científicos relacionados com a realização de projetos em curso (5 BIT).